Saúde

MS registra 4,8 mil casos de dengue e chikungunya aumenta 88,7%

Boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado aponta ainda que, entre janeiro e novembro, Mato Grosso do Sul notificou 256 casos de Zika Vírus e confirmou 73, um na cidade de Dourados que é terceira de MS com maior incidência de chikungunya

Ministério da Saúde inicia campanha de combate ao Aedes aegypti foto - Hedio Fazan Ministério da Saúde inicia campanha de combate ao Aedes aegypti foto - Hedio Fazan

Subiu para 4.835 o número de notificações de dengue em Mato Grosso do Sul. Os dados são da Secretaria Estadual de Saúde, divulgados no último dia 22. Os dados levam em conta o período de janeiro a 17 de novembro desse ano. Se considerado o mesmo período do ano passado, as notificações caíram 13,05%, quando 5.561 casos haviam sido registrados. Somente na última semana de verificação (11 a 17 de novembro), foram registrados 91 notificações da doença. Ontem (25) o Ministério da Saúde lançou campanha em todo o Brasil contra o mosquito Aedes aegypti.

Em Mato Grosso do Sul, os boletins epidemiológicos mostram que enquanto a dengue teve leve queda, os casos confirmados de chikungunya aumentaram 88,7%. Foram 202 casos confirmados esse ano contra 107 no ano passado. O total de notificações pela doença é de 652 esse ano contra 409 casos no ano passado. A primeira semana do mês de novembro também registrou a morte de uma pessoa pela doença na cidade de Campo Grande.

A cidade de Dourados é a terceira com a maior incidência por Chikungunya no Estado, com 74,2 casos a cada 100 mil habitantes. Foram 154 notificações por pela doença.O município registrou surto da doença na 11ª semana epidemiológica com dezenas de casos confirmados e foco em bairro específico do município. Mas , de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde foram tomadas providências cabíveis e a situação segue monitorada. O Boletim Epidemiológico traz ainda Juti com a maior incidência da doença no Estado com 96,1 a cada 100 mil habitantes, seguida por Ivinhema (83,2).

Dengue

Em relação a dengue, Dourados registrou baixa incidência com 58,8 casos a cada 100 mil habitantes. Mesmo assim o município tem 122 notificações pela doença. Ao todo nove cidades de MS aparecem com alta incidência de dengue. No topo do ranking está Três Lagoas com incidência de 1215 notificações a cada 100 mil habitantes. Em segundo lugar está Costa Rica com 801,7 casos a cada 100 mil habitantes, seguida de Selvíria (451,2), Coronel Sapucaia (424,5), Chapadão do Sul (404,6), Rio Verde de Mato Grosso (397,9), Antônio João (362,8), Jardim (357,4) e Iguatemi (337,0 a cada 100 mil habitantes).

Em MS, ações estão sendo realizadas para intensificar o combate à dengue, como a vistoria em residências. Durante o período de 11 a 17 de novembro foram fiscalizados 57.847 mil imóveis, sendo 10.642 em Dourados.

Zika Virus

Em relação a Zika vírus, boletim epidemiológico divulgado na última quinta-feira mostra que Mato Grosso do Sul tem de janeiro a novembro desse ano o total de 256 casos registrados. Destes, 73 são casos confirmados, sendo 1 deles em Dourados.

Semana Nacional

Em todo o Brasil começou ontem (25) a Semana Nacional de Combate ao Aedes nos estados e municípios. Até o dia 30 a população de todo o país está convocada para unir esforços no enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti, transmissor das doenças dengue, zika e chikungunya.

No total, 210 mil unidades públicas e privadas de todo o país estão sendo mobilizadas, sendo 146 mil escolas da rede básica, 11 mil Centros de Assistência Social e 53 mil Unidades Básicas de Saúde (UBS). A semana fecha com o dia D (30/11) de combate ao Aedes, com a realização de mutirões de limpeza em todos os espaços, incluindo os órgãos públicos.

"O verão é o período que requer maior atenção e intensificação dos esforços para não deixar o mosquito nascer. No caso da população, além dos cuidados, como não deixar água parada nos vasos de plantas, é possível verificar melhor as residências, apoiando o trabalho dos agentes de endemias. Esses profissionais utilizam técnicas simples e diferenciadas para vistoriar as casas, apartamentos e espaços abertos", explica o coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, Divino Martins.

Dados nacionais apontam redução nas três doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, entre janeiro a novembro de 2018, em comparação com o mesmo período de 2017, porém, alguns estados apresentam aumento expressivo de casos de dengue, Zika ou chikungunya.

Até 3 de novembro, foram notificados 223.914 casos de dengue em todo o país, uma pequena redução em relação ao mesmo período de 2017 (224.773). A taxa de incidência, que considera a proporção de casos por habitantes, é de 107,4 casos/100 mil habitantes. Em relação a chikungunya, foram registrados 81.597 casos o que representa uma taxa de incidência de 39,1 casos/100 mil habitantes. A redução é de 55,4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 182.920 casos. Foram registrados 7.544 casos prováveis de zika em todo país, uma redução de 54,6% em relação a 2017 (16.616). A taxa de incidência passou de 8,0 em 2017 para 3,6 neste ano.

Comentários