Política

“Não dá para comemorar Dia da Mulher com crimes bárbaros em MS”, diz Marçal Filho

Deputado sugeriu medidas para ajudar a diminuir índices de violência contra mulher

Deputado Marçal Filho falou sobre questão na tribuna da Assembleia Legislativa (Foto: Luciana Nassar/Divulgação AL-MS) Deputado Marçal Filho falou sobre questão na tribuna da Assembleia Legislativa (Foto: Luciana Nassar/Divulgação AL-MS)

Três casos de feminicídio, ocorridos no último fim de semana em Mato Grosso do Sul, levaram o deputado Marçal Filho à tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira (12). O parlamentar sugeriu a implantação de medidas adotadas em outros estados brasileiros e que estão ajudando a diminuir os índices de violência contra mulher.

“Infelizmente depois de falar tanto desse assunto, tivemos três assassinatos de mulheres no fim de semana, um número alarmante. Uma foi assassinada por esganadura, outra com 36 facadas e a outra atropelada. Não dá para comemorar Dia da Mulher com assassinatos bárbaros em MS”, disse o parlamentar.

Para combater esse tipo de violência, o deputado apresentou algumas medidas que podem ser implantadas. “Vou sugerir ao Governo do Estado a adoção de medidas que já apresentaram êxito em outros estados, como por exemplo, reuniões semanais com os autores da violência para refletir sobre o tema; rede de atendimento e proteção às mulheres; acompanhamento das condutas dos profissionais envolvidos na apuração e julgamento desses casos; e aplicativo de celular que possui botão do pânico para que as delegacias ou batalhões de polícia recebam esse chamado, com a localização da vítima, e desloquem a viatura mais próxima”, enumerou.

“Precisamos copiar o que deu certo. Hoje, a Assembleia Legislativa de Mato grosso do Sul é 100% masculina, mas nós que temos representar com responsabilidade as mulheres, maioria do eleitorado no nosso Estado”, finalizou.

Comentários