Política

Epidemia de dengue e ruas esburacadas em cidade motivam cassação de prefeito

Morador de município denunciou gestor público à Câmara de Vereadores sob acusação de omissão e infrações político-administrativas

Câmara de Vereadores cassou prefeito acusado de omissão (Foto: Reprodução) Câmara de Vereadores cassou prefeito acusado de omissão (Foto: Reprodução)

Ruas tomadas por buracos, demora na execução de obras fundamentais para a população, denúncia de irregularidades administrativas e uma epidemia de dengue com seis mortes confirmadas somente neste ano. Esses problemas motivaram a cassação do prefeito de Tupã, no interior de São Paulo. O pedido de impeachment foi feito à Câmara de Vereadores por um morador daquele município, que acusou o gestor público de omissão. 

A sessão que resultou na perda do mandato de Ricardo Raymundo (PV) ocorreu no dia 29 de maio. Dos 15 vereadores, 11 votaram favoráveis e quatro contrários a cassação por infrações político-administrativas. A denúncia foi levada ao Legislativo por um morador da cidade, o advogado André Gustavo Zanoni Braga de Castro. 

Conforme reportagem publicada pelo jornal O Estado de São Paulo, o denunciante apontou omissão no combate à dengue. No município com 65 mil habitantes (dados do IBGE), foram 4.118 casos confirmados e seis mortes causadas pela doença desde o início deste ano. Além disso, o morador que ingressou com pedido de cassação do prefeito afirmou que  a cidade está abandonada, cheia de buracos, com demora na recuperação de estragos causados por enchente ocorrida há um ano. O Portal G1 acrescentou ainda que houve menção às denúncias de irregularidades administrativas na Casa Terapêutica do município.

Ao Estadão, o prefeito cassado afirmou ser vítima de perseguição política e garantiu que iria recorrer. “Querem mandar nas secretarias, fazer indicações, coisas que não aceitei, por isso acharam um jeito de me tirar, mas estou analisando as medidas com meus advogados e vamos reverter”, argumentou ao jornal paulista. 

Comentários