Policial

Fabrício Moreira foi morto com 7 tiros em Itaporã

"Com os fragmentos, descobriremos o calibre da munição utilizada no crime”. - Foto: Aislan Nonato

O Albergado Fabrício Moreira Lopes, vulgo Caban, de 33 anos, foi morto com sete tiros em Itaporã. Segundo informações, há poucos dias ele se envolveu em uma briga com a pessoa de “André Gordinho”.

Fabrício cumpria pena devido uma acusação de tráfico de drogas, ocorrido em 2009. Desde que saiu do presídio mudou-se para Itaporã, cidade onde estava residindo sua mãe e demais familiares.

Conforme informações apuradas pela Polícia Militar de Itaporã, Fabricio estava sentado em frente a sua residência às 17h50 de domingo (14), quando o condutor de um Volkswagen Gol, de cor prata, aproximou-se pela avenida José Chaves da Silva, parou na calçada de um estabelecimento comercial e o ocupante realizou os disparos.

Três disparos acertaram o peito de Fabrício, dois o abdômen, um o rosto e outro um dos braços. Ele chegou a ser socorrido e encaminhado ao Hospital de Itaporã, mas faleceu a caminho da unidade de saúde.

Perícia foi realizada no local

Logo depois de confirmada a morte de Fabrício Moreira Lopes (33) vítima de disparos de arma de fogo, a perícia foi realizada no local.

Conforme o perito André Kiyoshi, o material foi recolhido e encaminhado para análise “com os fragmentos, descobriremos o calibre da munição utilizada no crime”.

Segundo consta no Boletim de Ocorrência, testemunhas relataram aos policiais que o condutor de um VW Gol, de cor prata, trafegava pela Av. José Chaves da Silva, sentido bairro centro, quando encostou próximo à calçada e foram ouvidos os disparos, logo depois o condutor fez o retorno na avenida e seguiu sentido à Dourados. Até o momento não se sabe se alguém desceu do veículo.

A Polícia Militar de Itaporã deu apoio aos serviços da Perícia Técnica e da Polícia Civil de Itaporã, que irá investigar o caso. (Com informações de Aislan Nonato)

Comentários