Policial

Acusada de mandar matar marido em Dourados é condenada a 12 anos de prisão

(Foto: Adilson Domingos/Arquivo) (Foto: Adilson Domingos/Arquivo)

Acusada de mandar matar o marido, o empresário José Pereira Barreto, de 38 anos, Valdirene Fiorentino da Silva, de 35 anos, foi condenada a 12 anos e 10 meses de prisão. O julgamento aconteceu nesta última terça-feira (3/12), no Fórum da cidade de Dourados, e teve quase 18 horas de duração, terminando por volta de meia-noite.

Durante o júri popular, 7 pessoas foram julgadas sob a acusação de envolvimento na tentativa de homicídio contra o empresário, que foi baleado no peito e no ombro por pistoleiros contratados a mando da mulher, por meio de uma emboscada, em fevereiro deste ano.

Valdirene foi casada por 17 anos com o empresário José Pereira Barreto, que é dono de uma frota de ônibus de turismo.

A acusação foi feita pelo Ministério Público de Mato Grosso do Sul, representado pelo Promotor de Justiça Luiz Eduardo Sant’Anna Pinheiro.

Além de Valdirene, outras 6 pessoas foram julgadas. Destas, quatro foram condenadas e duas absolvidas. Pedro Jorge Braga Cancio Júnior, funcionário do empresário e acusado de ter tramado a morte do patrão em conluio com Valdirene, foi condenado a 16 anos e 8 meses de reclusão. Charles Barros de Lima Ribeiro, autor dos disparos contra o empresário, recebeu a condenação de 13 anos e 4 meses de prisão.

Outros dois envolvidos, João Paulo Alves Cardoso e Leandro Alves Gonçalves, foram condenados a 14 anos e 7 meses e 7 anos e 3 meses, respectivamente. O Juiz Eguiliell Ricardo da Silva manteve a prisão preventiva dos condenados. Com isso, eles não poderão recorrer em liberdade.

David Jonathan dos Santos e Paulo Vitor dos Santos, também denunciados pelo Ministério Público Estadual, foram absolvidos.

Entenda o crime

A tentativa de homicídio ocorreu no final da tarde de 13 de fevereiro, no Jardim Santo André, região central de Dourados. O empresário José Pereira Barreto foi ferido com três tiros quando seguia em sua caminhonete S10. Ao ser alvejado, perdeu o controle da direção e colidiu em um poste localizado em um estabelecimento do cruzamento. Barreto perdeu parte dos movimentos do lado esquerdo do corpo em consequência dos tiros.

Durante as investigações, a polícia encontrou quase meio milhão de reais e duas armas na casa do empresário. Na caminhonete usada pela vítima, os policiais encontraram 63 mil reais em dinheiro.

De acordo com a denúncia, Valdirene tinha relação conturbada com o empresário, com quem vivia há 17 anos. Pedro Cancio, funcionário de Barreto, teria tramado a sua morte em conluio com Valdirene, por nutrir raiva do patrão e considerá-lo arrogante.

 

Comentários