DOURADOS

Índios dizem que bloqueio da MS-156 só termina com compromisso da prefeitura

Bloqueio da MS-156 entre Dourados e Itaporã é motivado por falta de transporte para universitários da Aldeia Indígena - Crédito: André Bento/Dourados News Bloqueio da MS-156 entre Dourados e Itaporã é motivado por falta de transporte para universitários da Aldeia Indígena - Crédito: André Bento/Dourados News

Índios das aldeias Bororó e Jaguapiru que bloqueiam desde às 8h desta terça-feira (1) trecho da MS-156 entre Dourados e Itaporã afirmam que não vão liberar o tráfego de veículos até a prefeitura comprometer-se formalmente a restabelecer o transporte de estudantes universitários.

Estudante do curso de Letras da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), Queila Viana da Silva diz que o problema da falta de ônibus persiste há mais de 30 dias sem qualquer solução por parte da prefeita Délia Razuk.

“Já faz mais de um mês que a gente tenta negociar com a prefeita e ela não libera o ônibus. É garantido por lei e a gente quer o nosso ônibus, porque está tirando a dignidade de muitos acadêmicos, está tirando o direito do sonho deles”, desabafou.

Segundo ela, são 150 estudantes prejudicados. “Já passou um mês, estão praticamente reprovados por falta. Estamos sendo muito prejudicados por isso, tentamos o diálogo, mas não obtivemos resposta. O bloqueio vai permanecer até que ela traga uma resposta concreta para nós, não queremos mais blábláblá”, afirmou ao Dourados News.

Com cartazes e faixas, o grupo de índios bloqueia as duas pistas da rodovia estadual na rotatória de acesso à Reserva Indígena de Dourados. A fila de veículos é maior no sentido Dourados Itaporã, formada sobretudo por carretas. Uma guarnição da Polícia Militar Rodoviária foi ao local, mas explicou que só pode acompanhar o protesto sem intervir.

Procurada via assessoria de imprensa, a Prefeitura de Dourados informou que não deve enviar representante para o local do protesto. Citou ainda fala do secretário municipal de Educação, Upiran Jorge Gonçalves da Silva, segundo quem a administração pública do município só tem obrigação legal de prover transporte escolar para educação básica, na zona urbana com passe livre e na rural com os ônibus.

No entanto, no dia 10 de fevereiro de 2015 o site institucional da prefeitura divulgou que “estudantes universitários e de escolas técnicas de Dourados que moram na zona rural e nos distritos terão garantido o acesso ao transporte escolar”.

“A medida está assegurada em lei de autoria do executivo municipal, já aprovada pela Câmara Municipal e que será publicada no Diário Oficial do Município”, detalhou na ocasião.

Naquela publicação, a prefeitura disse que sua intenção era “efetivar o direito a educação àqueles que possuem maiores dificuldades de transporte, uma forma de garantir a continuidade dos estudos para uma melhor oportunidade de buscar graduação e colocação no concorrido mercado de trabalho”.

Comentários