Ciclismo

Lenda do ciclismo, Zé Nambú é homenageado por comerciante de Itaporã

Depois da homenagem da Querina Confecções, a equipe do iFato entrou em contato com Zé Nambú para uma matéria que relatasse um pouco da sua história. Confira

Zé Nambú com o empresário Roni Ropelli. Zé Nambú com o empresário Roni Ropelli.

Atualmente, Itaporã tem centenas de pessoas que praticam ciclismo, seja para competição, atividade física ou apenas distração, mas há 35 anos atrás, poucos no Estado eram adeptos do esporte e um dos pioneiros foi o morador em Itaporã José Cândido Trindade, conhecido como Zé Nambú.

Depois da repercussão com a homenagem ao Demá, treinador de futebol durante décadas em Itaporã, o empresário Roni Ropelli, da Querina Confecções, seguiu a ideia de um amigo ciclista para homenagear Zé Nambú e isso despertou de nós do iFato para prolongar a homenagem.

“É uma honra para toda equipe da Loja Querina Confecções fazer uma homenagem ao Zé, pessoa simples, humilde e que já fez muito pelo ciclismo, somos sempre parceiros do esporte amador de Itaporã e dos atletas”, destaca Roni.

Em Itaporã, por muitos anos Zé Nambú morou no cruzamento das ruas Francisco Leal de Queiroz e Duque de Caxias, onde tinha sua bicicletaria. Atualmente está morando no Assentamento Itamarati.

Entramos em contato com Zé Nambú, para saber algumas de suas histórias e ele, que sempre pedalou, começou em uma Monark de 19 quilos, “passava nos lugares e era chamado de vagabundo”, afirma. Atualmente está com 67 anos e diz não sentir dores, “saúde de leão”, brinca ele.

“Mais ou menos, em 1984, o ex-Prefeito Rivalmir começou a fazer corridas de bicicleta em Itaporã, não tinha bicicleta para participar, peguei emprestada a do Deri [amigo dele, morador na Cidade], treinei uns dias, veio gente de toda a região competir e eu ganhei de todo mundo”, relata.

Em Dourados, Zé Nambú foi campeão por quatro vezes de uma prova que levava o nome da Cidade, uma das vezes representando o Clube Indaiá com uma bicicleta speed, as outras vezes com bicicleta comum, sem nenhum preparo para competição.

Em um dos Campeonato Estadual do final da década de 1980, Zé conseguiu chegar em segundo lugar, “perdi por um ponto”, lamenta ele.

Zé Nambu participou de várias competições, oficiais ou não, conquistou no total 67 troféus e 325 medalhas, sendo campeão douradense quatro vezes e segundo lugar no campeonato estadual por uma vez.

Ele ainda lembrou de sua pedalada mais longa, 270 quilômetros de Itaporã até Campo Grande.

Em Itaporã, recentemente ciclistas montaram a Associação de Ciclismo de Itaporã, e integrantes da equipe já participaram de etapas do Campeonato Estadual de Ciclismo, recolocando Itaporã nos pódios das Competições estaduais.

Para finalizar, Zé Nambú prometeu vir pedalar em Itaporã junto com a nova geração do ciclismo da Cidade e brincou, “se vacilarem, ainda dou um show neles”.

A equipe do iFato parabeniza o empresário Roni Ropelli e toda a equipe da Loja Querina Confecções pela atitude.

Comentários