Brasil

Mega-Sena de R$ 140 milhões inspira sonhos, como a compra da casa própria

Acumulado pela 12ª vez, o prêmio da Mega-Sena leva brasilienses a encher as lotéricas da capital federal para apostar

Francisco Assis tirou a cartela preenchida da mochila e fez dois jogos(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press) Francisco Assis tirou a cartela preenchida da mochila e fez dois jogos(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

O prêmio da Mega-Sena acumulou pela 12ª vez e a esperança de faturar R$ 140 milhões levou brasilienses a enfrentarem filas nas lotéricas do Distrito Federal. Para vencer o sorteio, cada um adota uma tática. Há quem sempre aposte nos mesmos números — aniversário de casamento, data de nascimento dos filhos e dezenas da sorte. Outros preenchem a cartela na hora, escorados no balcão ou em pé, na fila. Mas, entre todos, a vontade é uma só: conquistar o dinheiro e planejar o futuro. As apostas podem ser feitas até as 19h de hoje e o resultado sai as 20h.

Esse é o maior prêmio da Mega-Sena no ano e estimula até quem não é acostumado a jogar. A fama de Brasília ser uma cidade sortuda também aumenta as esperanças de moradores da capital. Só no ano passado, duas pessoas do DF ficaram milionárias, em Planaltina e no Guará, após fazerem um único jogo de R$ 3,50 cada.

O montante desperta os mais variados sonhos de trabalhadores, estudantes e desempregados. Comprar a casa própria, ajudar quem precisa e viajar estão entre os principais da lista. Os mais comedidos também falam em guardar uma boa parte para render na poupança e não precisar mais se preocupar. Investido, o dinheiro renderia R$ 520 mil por mês.

A auxiliar de serviços gerais Joelma Maria Silva Costa, 39 anos, afirmou que, com o dinheiro, compraria uma casa, em primeiro lugar, guardaria uma parte e conheceria Gramado e a Disney. “Tenho um número que sempre jogo e os outros escolho de forma aleatória. O importante é tentar sempre e não desistir. A gente vê notícias das pessoas que ganham e se anima”, ressaltou a moradora de Sobradinho, que ontem enfrentava a fila na lotérica de um shopping da região central.

O desejo da casa própria também motiva Marinalva Paiva dos Reis, 49, a fazer o jogo. A camareira tem planos de comprar um carro e conhecer os Estados Unidos. Para conquistar a bolada, ela marca datas de aniversário dos filhos. “Joguei semana passada, meu marido tentou ontem (quinta-feira) e eu vim de novo hoje (ontem). Há três anos ganhei só o valor do que gastei apostando, mas já dá uma confiança a mais”, destacou.

Sonhos

A lotérica da Rodoviária do Plano Piloto também registrou filas na tarde de ontem. Quem esperava para embarcar nos ônibus ou descia no terminal aproveitava para fazer uma “fezinha”, na linguagem dos passageiros. Francisco Assis de Lima, 58, tirou a cartela preenchida da mochila. Ele fez dois jogos e se diz sortudo: “No ano do nascimento do meu primeiro filho, em 1987, ganhei o valor de uma quina que foi suficiente para passar o feriado de carnaval no Espírito Santo”, lembrou assistente de tecnologia da informação, morador de Taguatinga.

Ronair Ferreira da Silva, 40 anos, também jogou, mas, para ele, o prêmio deveria ser sorteado entre mais pessoas. “É muito dinheiro para uma pessoa só. Seria justo se ganhassem 30, 40 jogadores. Jogo toda quarta-feira e sábado. Um dia sai para mim”, disse o morador do Paranoá, que tem o sonho de ajudar a família, comprar a casa própria e conhecer o litoral brasileiro.

Comentários